Por que alguns Profissionais se Recolocam com maior Facilidade? Conheça os Fatores que Impactam Diretamente no Índice de Empregabilidade.

Muito se fala sobre qual é a proporção de êxito dos processos de recolocação; e o quanto isso está atrelado à empregabilidade e capacitação dos profissionais.

Fato é que não há uma métrica exata de índice nesse aspecto, mas há sim fatores e dicas que fazem toda a diferença, permitindo com que alguns profissionais se destaquem mais do que outros nos processos seletivos.

Por ser um tema que gera bastante curiosidade, elenquei algumas perguntas que recebo com frequência para te responder.

Quer saber mais? Então confira agora minhas dicas sobre esse tema:

  1. Paula, por que alguns profissionais se recolocam com maior facilidade do que outros? Sabe dizer se o índice de sucesso acaba sendo maior para quem opta por uma consultoria especializada para assessorar seu processo de recolocação?

Logo de primeira, o que é preciso saber é que quando falamos de recolocação, há dois pontos que influenciam no processo:

  • A Empregabilidade do Profissional

Trata-se da sua trajetória construída ao longo do tempo e do currículo formado com todas as experiências e cursos vivenciados/realizados. Assim, para aumentar sua empregabilidade, destaco dois aspectos importantes:

(i) manter-se sempre atualizado na sua área, ou seja, verificar o que as vagas pedem (incluindo a empresa que trabalha, se o caso), e fazer os cursos, formações e certificações de acordo com o que a área/escopo de atuação necessita;

(ii) evitar mudar com frequência (o famoso “pipocar”) de empresa em empresa. Aliás, preste atenção nos sinais, se você estiver permanecendo por pouco tempo em cada empresa, pode ser um indício de que está na carreira errada, ou seja, um sinal de que também é hora de reavaliar o formato de trabalho ou a área de atuação. Por outro lado, também pode impactar se você permaneceu muito tempo na mesma empresa, pois isso tende a decrescer/diminuir o quesito empregabilidade. O que então seria “muito tempo”? Mais de 07 anos na mesma empresa já configura uma queda de empregabilidade. Assim, o ideal é que fique, pelo menos, de 02 a 03 anos em cada empresa.

No mais,o que também influencia nesse item é se você cresceu ao longo do tempo; se teve uma ascensão de carreira, nem que seja em relação à senioridade/expertise, não precisa necessariamente ser um upgrade de cargo.

  • A Forma Como Procura Emprego:

O outro ponto é a estratégia. Ou seja, se você tiver uma ótima empregabilidade, e não souber procurar emprego, isso certamente impactará na recolocação, reduzindo o índice de êxito.

Por essa razão, se você não tiver um currículo bem elaborado; um LinkedIn estratégico; se não souber se candidatar às vagas certas e da forma correta; e se não souber passar e ir bem nas entrevistas, você terá mais dificuldade do que outros profissionais.

Dessa forma destaca-se quem, somado à uma boa empregabilidade, tiver uma estratégia para a recolocação.

  • Paula, com base na sua experiência, o que pode dizer sobre o índice de empregabilidade do mercado?

A taxa de empregabilidade varia de acordo com a área de atuação + o currículo formado. Outro ponto que influencia diretamente é o networking, assim, quanto mais você se dedicar em relação aos contatos estratégicos, e mais focar no crescimento e no investimento da sua carreira, mais a sua empregabilidade cresce.

  • Paula, quais os diferenciais profissionais e pessoais que as pessoas que se recolocam com maior facilidade apresentam?

Os profissionais que se recolocam com maior facilidade, além de uma boa empregabilidade (é claro), são aqueles que se mantém otimistas em relação ao processo, que têm esperança. Outra coisa importante que observo é que estes profissionais mantém-se abertos às sugestões que lhes são dadas durante o processo; procuram ajuda nas dificuldades que têm, ouvem essa ajuda especializada, ou seja, seguem o processo na íntegra; no mais, dedicam-se à divulgação de seus perfis, pois quanto mais tempo dedicado, maior a facilidade de obter o êxito na recolocação.

  • Paula, vivemos um período de crise no mercado de trabalho, o quanto isso é real e o quanto é especulação? Se real, isso impacta na questão da empregabilidade do mercado como um todo? O que os profissionais devem fazer para superar a dita crise?

Não há como negar que vivemos uma crise, e não é de hoje. Sim, isso impacta no mercado porque aumenta a concorrência, ao passo que mais pessoas desempregadas resulta em maior concorrência pelas vagas. Por isso a empregabilidade acaba caindo, pois se o mercado está em retratação, não basta ter um ótimo currículo e fazer tudo certinho. É por essa razão que nessa fase toda dedicação e ajuda são bem vindas. Então, para superar a crise nesse aspecto, entendo que é preciso ter um diferencial para conseguir se recolocar. Mas como? Investindo na melhoria de seu currículo e em autoconhecimento; e estando atento e atualizado na sua área de atuação. Ou seja, é dedicação e investimento na própria carreira. Quanto mais estudo, formação, certificação e dedicação ao processo de recolocação, maiores são as chances de conseguir. Por fim, lembre-se, também tem a ver com a sua energia, é preciso que esteja bem para alcançar a vaga certa.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu