Em todos esses anos trabalhando com pessoas, existe algo que se tornou óbvio para mim e, que depois de escutar, talvez você ache óbvio também, mas muitas vezes nem percebeu.

As pessoas passam uma parte da adolescência e da vida adulta se preparando profissionalmente e, depois de entrar em uma empresa, ficam anos adquirindo outras experiências práticas, até chegar um momento em que por um motivo ou outro, precisará mudar de emprego. Você tenta enviar currículos, e mesmo sendo chamado uma vez ou outra para uma entrevista, não é aprovado.

Quando é aprovado, percebe que é para uma vaga inferior à que você ficou anos lutando para conquistar. Nessa hora, a primeira coisa que vem à cabeça é que o mercado não está bom ou que a crise está afetando a sua área de atuação. E muitas vezes isso também é uma razão, mas o principal, é o fator que você irá me dizer – que é óbvio, mas que a maioria das pessoas não estão atentas para isso:

Você precisa se preparar para procurar um emprego! Óbvio né?

Mas quanto tempo você se dedica a essa atividade? Se você está lendo isso, já está à frente de milhares de pessoas. Mas, analise sua rotina, independente se você está trabalhando ou não.

Você tem uma rotina definida e consciente para estar sempre preparada para ser encontrada pelos recrutadores? A maioria das pessoas não!

Isso aconteceu com a Louise May, que estava em busca de uma mudança de carreira e cogitava até uma mudança de cidade. Ela enfrentava o problema de não ser chamada para entrevistas. Isso é familiar para você?

Procurando uma solução para esse problema, ela chegou até nós, e depois de um estudo intenso dos seus pontos fortes e fracos, conseguimos ajudá-la a se recolocar em 4 meses. 

Ela entrou como associada na empresa MST Gestão de Projetos e, segundo ela, um dos principais fatores para ter conseguido, foi o nosso trabalho para fazê-la ter mais confiança, mostrando aos recrutadores que ela era a pessoa certa para a vaga.

Espero que a história da Louise auxilie você a entender que procurar emprego é uma disciplina à parte, a qual você precisa dominar, caso contrário, você pode ser o melhor especialista do mundo em sua área mas o mercado não vai ver você desta forma.

Com otimismo,

Paula Dias

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu