A vida dá sinais. Muitos. Mas na pressa e na correria do dia a dia, a gente não percebe. Ou até percebe e tem medo de mudar ou fazer o que precisa ser feito.

Daí a gente finge que está tudo bem e vai levando.

O que acontece quando fazemos isso? Você sabe?

Se não sabe, tenho certeza que lendo minha explicação, você se lembrará de vários fatos da sua vida que aconteceu isso com você. E a partir de agora vai prestar mais atenção.

O que acontece é que o problema, ou seja, aquele sinalizador que está na hora de buscar algo novo ou fazer diferente, volta. E volta cada vez maior. Isso acontece para que, em algum momento, você vire a chave que tem que virar. E como você não fez no “amor”, terá que fazer na “dor”.

E por que é assim?

Não sei. A vida é assim. Foi algo que aprendi com a minha e acompanhando as histórias dos meus clientes.

O que mais vejo são pessoas passando por vários problemas, mas, na loucura do dia a dia, acham que é normal e não observam o que aquilo quer lhes dizer. Então o tamanho do problema só aumenta até que consigam parar e analisar a causa – porém, até isso acontecer, o sofrimento já foi imenso.

Depois que aprendi isso, passei a meditar. Estar mais presente. Observar mais o hoje. Assim, eu consigo enxergar os sinais e agir antes que “dê ruim”, sabe?

Esse tema nos remete a uma dúvida: Livre arbítrio existe?

Me parece que não, rs. Você até pode, por “livre arbítrio”, escolher não fazer ou ir para o lado oposto. Mas os problemas vêm – até você enxergar o caminho que faz sentido e mudar. Mas isso é apenas uma teoria. Não estou defendendo nada e nem sou Deus para dizer o que acontece, o que é real.

Você tem uma opinião formada sobre isso?

Se tem, me conta!

E se tem alguma história de vida para compartilhar comigo sobre isso, comenta aqui! Vou adorar saber!

Com otimismo

Paula Dias

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu